Desfazer, e me refazer.

Antes de ler, dê o play.
                                        
                                         Jar of Hearts by Christina Perry on Grooveshark
 
Hoje comecei à me desfazer de tudo àquilo que lembra você, e apesar de a maior parte ainda estar na cabeça e não no guarda-roupas, esse foi um grande passo que eu não conseguia dar. 

Abri a caixinha daquele perfume que me deu. Àquela caixinha que eu guardava todas as cartas e papéis de bombons. Dessa vez não li nenhuma delas, apenas as rasguei. Que difícil.
Liguei o notebook e cliquei sobre o vídeo de 1 ano de namoro - àquele que você nunca viu - e o deletei. Lembrando que a horrenda lixeira existe, persisti em ir lá e esvazia-la, para não correr o risco de restaurar e sofrer de novo com àquilo. 

Os frascos de perfume - que estavam quase acabando - me desfiz também. O cheiro já não me trás mais àquela sensação de "que delícia de perfume!", e sim a sensação de "esse perfume me trás lembranças que infelizmente não quero me lembrar, sejam elas boas ou ruins." Melhor assim.

Que coisa difícil. 

Descobri em mim uma força que eu nem poderia acreditar que existia aqui dentro. Uma força pra encarar, pra suportar, pra seguir. Ou começar à seguir.

Em rumo ao meu caminho eu vou. Não estou "em busca da felicidade temporária", estou em busca do "quero ser feliz agora, e não vou deixar pra depois". Ser feliz com tudo que tenho hoje, com minha família, amigos, e até mesmo ser feliz ouvindo àquela música que tanto adoro; "Hallelujah"

A felicidade não pode depender de alguém, não podemos ser feliz só se tivermos àquela pessoa ao lado ou se tivermos àquele carro, àquela bolsa, roupa e etc. Isso não pode acontecer. Temos que ser felizes pelo que somos, e tenho orgulho de quem sou hoje.


"Você pode encontrar as coisas que perdeu, mas nunca as que abandonou." - O Senhor dos Anéis.






Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 Comentários:

Postar um comentário