BULLYING é coisa séria! A triste história de Amanda Todd.



 Bom galera, Triste é saber que só tentaram ajudar agora, pois quando ela estava viva não havia nenhum tipo de mensagem para ela - seja em rede social, seja pessoalmente - e agora, só depois que ela cometeu suicídio vão realmente homenageá-la e se importar com ela? Agora não adianta mais, já foi, já era! O que resta agora é ao menos a gente tentar de alguma forma ajudar à quem sofre disso também. Bullying aconteceu comigo quando eu tinhas uns 12 anos na escola, ok...Foi resolvido. E agora com 19 e na faculdade, aconteceu de novo. Foram ofensas horríveis publicadas em anônimo aqui no blog , "perseguições" em redes sociais, nas quais eu fiquei muito mal, mas, com a ajuda de um professor tudo está se resolvendo, até porque contei aos meus pais, amigos próximos, e eles me deram o maior apoio. Acho que quem sofre ou já sofreu de bullying precisa de muito apoio, porque Bullying para alguns é só um assunto fútil de que nada acrescenta, mas já para outros é algo que deixa marcas horríveis. 



*A publicação abaixo é do blog Escreva Lola Escreva, todos os direitos reservados ao mesmo.


"A esta altura, você provavelmente já ouviu falar de Amanda Todd, uma garota canadense de 15 anos que se suicidou na semana passada. Sua história  é de partir o coração. Pelo menos pra quem tem coração, porque olha, o relato faz com que a gente perca um tanto de fé na humanidade.
Quando Amanda estava na sétima série (ou seja, 13 anos), num grupo de bate-papo na internet, um cara a elogiou e a convenceu a mostrar seus seios. Ela mostrou. Um ano depois, recebeu um recado no Facebook de alguém que sabia tudo sobre ela (endereço, nomes dos amigos e familiares). Ele a ameaçou: ou ela fazia um showzinho particular pra ele, ou ele mandava as imagens de seus seios pra todo mundo. Foi o que ele fez. Amanda teve ansiedade e depressão e foi se refugiar em álcool e drogas. Trocou de escola pra ver se deixava seu terrível passado (mostrar os seios por alguns segundos) pra trás.
Não funcionou. O cara fez um perfil com os seios de Amanda como avatar. Ela chorava toda noite. Perdeu seus amigos, passou a se cortar. “Ninguém gostava de mim”, disse ela, num vídeo  que fez com plaquinhas.
Amanda trocou de escola de novo. Lá teve umas paquerinhas com um rapaz que já tinha namorada. Quando a namorada viajou, ele avisou Amanda e pediu para que ela fosse até sua casa. Ela foi. “Pensei que ele gostasse de mim,” contou ela. 
Na semana seguinte, um grupo de meninas da sua outra escola apareceu no novo colégio para humilhá-la, xingá-la, bater nela. Colegas filmaram a cena. Quando os professores apareceram, Amanda fugiu e se escondeu numa vala. Seu pai a encontrou. Chegando em casa, ela tentou se matar tomando alvejante. Foi levada às pressas para o hospital, e salva. Os recados no Facebook: “ela mereceu”, “espero que ela morra”, “você tirou a lama do seu cabelo?”.
Desta vez ela mudou não só de escola, mas também de cidade. Foi morar com a mãe. Porém, seis meses depois do último incidente, as pessoas continuavam postando fotos de alvejante. “Tomara que ela use um alvejante diferente e morra desta vez”, escreveu uma delas. 
“Por que recebo essas coisas?”, perguntou Amanda. “Eu errei, mas por que continuar me seguindo? […] Todo dia eu penso: por que ainda estou aqui?”.
Ela estava com depressão, se autoflagelando, fazendo terapia. Teve uma overdose e foi parar no hospital por dois dias. 
Mas continuava sobrevivendo. E termina seu relato silencioso com um papel escrito “Não tenho ninguém. Preciso de alguém. Meu nome é Amanda Todd”. Impossível haver um pedido mais direto de ajuda. 
Poucas semanas depois, Amanda se enforcou.
Agora todo mundo está devastado. Um memorial  em homenagem a ela no Facebook vai passar de um milhão de “curtidas”. E, toda vez que uma jovem se mata em consequência de bullying, condenamos o bullying. Mas condenamos por pouco tempo. Logo esquecemos. Pior: tem muita gente que acha que bullying é bom. Que forma caráter."


   

Share this:

JOIN CONVERSATION

2 Comentários:

  1. Triste saber que isso acontece ainda hoje, já passei por alguns tipos de dificuldade durante alguns anos na escola, porém tudo foi resolvido (:

    Espero que mais pessoas vejam esse post no seu blog ,para que talvez de alguma forma possamos diminuir estes incidentes :/

    Ótima postagem, ótimo blog.

    - Gean Miguel

    ResponderExcluir
  2. Olá, Gean. Pois é, realmente é um assunto que deveria com o decorrer do tempo "acabar" ou pelo menos diminuir bastante, mas, pelo que parece só aumenta, né? Bom, espero - esperamos - que o post sirva pra muita gente se ligar de que Bullying é um assunto sério à ser tratado.

    Muito obrigada, Gean.

    ResponderExcluir